sexta-feira, 17 de novembro de 2017

STEPHEN GEOFFREYS

O ohaioano Stephen Geoffreys sempre teve uma carreira ligada às produções de terror.
Em 1985, ano em que estreou como ator, ele já apareceu logo em A Hora do Espanto, filme que procurou fazer os vampiros dos antigos filmes dos anos 30 e 40 se adaptarem ao ‘terror adolescente’ dos anos 80. E o personagem do Stephen, chamado Ed, é exatamente um dos vampiros da história (aliás, a última cena do filme deixa o destino final do personagem em aberto).
No ano seguinte, o Stephen apareceu em 1 capítulo do seriado de terror Além da Imaginação.
Em 1987, ele protagonizou um capítulo do seriado Histórias Maravilhosas, que foi uma mistura de comédia com terror.
No ano seguinte, o Stephen foi visto nos filmes Cadeira Elétrica e Força Demoníaca.
Em 1996, ele protagonizou o curta-metragem de terror Hell’s Paradox.
Em 2007, o Stephen teve em Sick Girl.
Em 2010, ele protagonizou o filme New Terminal Hotel e também participou do filme Mr. Hush.
No ano seguinte, o Stephen apareceu em Bite Marks e também foi ator e produtor do filme Emerging Past.
Em 2014, ele foi visto em Lazarus: Apocalypse.
E agora, em 2017, o Stephen foi ator e produtor do filme The Emerging Past Director’s Cut.
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre o ator:


E clique aí do lado em ‘séries cinematográficas’ que você acha um post sobre A Hora do Espanto.
Até a próxima!

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

COBRAS

título original: Snake Island
título brasileiro: Cobras
ano de lançamento: 2002
país: África do Sul
elenco principal: Kate Connor, Wayne Crawford, William Katt
direção: Wayne Crawford
roteiro: Arthur Payne e Wayne Crawford

Enquanto um barco faz um passeio turístico por um rio da África do Sul, ele faz uma parada numa ilha chamada Snake Island, onde um dos passageiros vai ficar e um dos guias turísticos que tão a bordo vai dar um toque no pessoal que trabalha ali.
O tal guia é o dono de um hotel que fica na ilha e vai trocar umas palavras com os funcionários dele. E o passageiro é um escritor chamado Malcolm, que vai passar alguns meses ali, fazendo uma pesquisa pro próximo livro dele.
Mas, logo depois que o barco encosta nas margens da ilha, uma cobra cai lá dentro. E todo mundo pega os objetos que vê pela frente e tenta bater na cobra com ele. Mas aí acabam acertando o tanque de combustível e quebrando ele... e o conteúdo todo vaza direto pra dentro do rio.
Conclusão: todo mundo vai ter que ficar na ilha até chegar outra embarcação. Só que chamar outra embarcação não vai ser tão fácil, já que a equipe do hotel simplesmente sumiu sem explicação!
Eles só não perceberam ainda que centenas e centenas de cobras tão enroladas nas árvores e rastejando pela grama da ilha. E tão furiosas com a presença dos humanos ali!
Também não demoramos a ver que os funcionários do hotel na verdade não sumiram: os cadáveres deles tão num quarto do hotel, cheios de mordidas de cobras da cabeça aos pés!

Cobras foi um dos filmes que mais contaram com a presença do recentemente falecido Wayne Crawford: além de diretor, produtor e roteirista do filme, ele também entrou em cena como o personagem Jake.
É uma comédia de terror. E aparentemente pra dar uma certa dignidade ao filme, o Wayne convidou um ator semifamoso pra interpretar o Malcolm: o William Katt, que já tinha protagonizado a comédia de terror A Casa do Espanto (1985).
Curiosamente, parece que só o Wayne e o William entenderam que esse parangolé aqui era uma comédia (embora haja várias cenas indiscutivelmente cômicas ao longo do filme todo, como as cobras cantando, dançando e piscando o olho pra câmera com ar de deboche). Porque todos os outros atores fizeram uma interpretação mais dramática e séria. E o próprio Wayne parece que não soube dirigir o filme num ritmo de comédia. Vendo o resultado final, ficou parecendo mais um filme de aventura com alguns toques de terror light.
Também tem várias cenas de ‘suspense fácil’, que dão a entender que vai acontecer alguma coisa e, no último segundo, nada de nada acontece.
A maior esquisitice de Cobras talvez seja no final, quando um dos personagens que aparentemente tinha sido morto pelas cobras (pelo menos, ele tinha sido cercado por elas na floresta da ilha, tinha sido mordido e tinha caído por ali mesmo) reaparece num barco, sem explicação nenhuma, são e salvo, embora ainda envenenado. Mas talvez isso fosse pra ser uma cena cômica também, né?
A história em si não se desenvolve muito: mostra os humanos ficando presos na ilha, pensando desde o 1º segundo em como sair dali e mantendo esse plano até o final. E claro que a maior parte deles vão morrendo ao longo do filme, mordidos pelas ‘evangélicas’.rs
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre Cobras:


E já que eu mencionei A Casa do Espanto, dê uma clicada aí do lado em ‘séries cinematográficas’ que você acha um post sobre o filme.
Até!

sábado, 11 de novembro de 2017

TETSUO KURATA

O japonês Tetsuo Kurata é mais conhecido no Brasil por ter protagonizado os seriados Blackman (1988) e Kamen Rider Black RX (1989), que foi a continuação dele.
Bom, não sei se vocês sabem, mas as companhias japonesas que produzem seriados de aventura muitas vezes aplicam um pequeno golpe pra dizer (ou fingir) que tão fazendo filmes: elas produzem um capítulo mais ‘bem cuidadinho’ do seriado, com efeitos especiais relativamente melhores e com uma duração um pouquinho mais longa (capítulos de seriados japoneses têm em média 20 minutos, mas esses especiais têm entre 25 e 30 minutos); e aí exibem isso no cinema e chamam isso de “filme”.
Fizeram isso com Esquadrão Relâmpago Changeman (1985), com Comando Estelar Flashman (1986), com Defensores da Luz Maskman (1987) e com vários e vários outros seriados nipônicos.
Entre eles, Blackman...
Em 1988, foram lançados Kamen Raida Buraku: Kyoufu! Akumatouge No Kaijinkan! e depois Kamen Raida Buraku: Onigajima He Kyuko Seyo!, os assim chamados “filmes” inspirados em Blackman.
Bom, a meu ver, isso aí nem sequer é filme. Mas consta como tal, né? E eles tão classificados no IMDB como “horror”. Provavelmente porque aparecem lá uns fantasmas de monstros antigos que o herói já enfrentou em capítulos passados do seriado e tal.
Então, como o Tetsuo protagonizou essas produções, esses foram os “filmes de terror” de que ele participou.
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre o ator:


E dê uma clicada aí do lado em ‘produções japonesas’ que você acha posts sobre Changeman, Flashman e Maskman.
Até a próxima!

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

ANACONDA

títulos original e brasileiro: Anaconda
ano de lançamento: 1997
países: Brasil / Estados Unidos / Peru
elenco principal: Ice Cube, Jennifer Lopez, Jon Voight
direção: Luis Llosa
roteiro: Hans Bauer, Jack Epps Jr. e Jim Cash

Um pequeno grupo de pessoas decidem filmar um documentário sobre uma tribo de índios que vivem na Amazônia, mas que nunca tiveram contato com outro povo.
Eles zarpam de Manaus e sobem o Rio Amazonas. Mas são surpreendidos por uma tempestade, que obriga eles a diminuírem o ritmo da viagem. E logo depois, encontram um homem que parece ter tido o barco dele avariado pela tempestade enquanto passava por ali.
Eles recolhem o sujeito, que se identifica como um caçador de cobras. E diz que conhece os índios que eles tão procurando e pode guiar eles até onde eles vivem.
Ninguém suspeita que a intenção dele é realmente continuar caçando cobras, armando parecerias com os eventuais interessados que ele encontre pelo caminho. Mas as cobras que ele quer caçar não são das comuns: o cara tá de olho num casal de anacondas gigantes que vivem naquele rio! E o macho não demora a aparecer e começar a atacar e comer os membros do grupo!
E esse não é o único problema, já que a fêmea, tão feroz quanto o macho, tá num ninho não muito longe dali junto com os filhotes!

Anaconda tem a honra de ser um daqueles filmes amados por uns e odiados por outros. Tem gente que considera esse filme um clássico do terror, tem gente que considera ele um super trash. Mas uma coisa é inegável: foi um dos filmes mais famosos do final dos anos 90.
A inovação que ele trouxe foram as paisagens bonitas (apesar de ser um filme de terror) e o fato de que monstro era uma criação da própria Natureza, sem interferência humana (em filmes de terror com animais gigantes, geralmente o bicho é um mutante criado por um cientista louco ou então afetado pelo derramamento de produtos tóxicos na Natureza).
A ideia era de que as cobras gigantes fossem representadas por um boneco. Mas, como a dita cobra mecânica pifou durante as filmagens, tiveram que completar as cenas que faltavam com efeitos especiais. E funcionou.
Anaconda foi produzido no Peru (terra do diretor) e teve algumas cenas gravadas nos Estados Unidos e outras no Brasil.
O filme teve 4 continuações (2004, 2008, 2009 e 2015). Mas nenhuma delas segue propriamente a história do 1º filme.
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre Anaconda:


Até a próxima!

sábado, 4 de novembro de 2017

STEPHEN BOGARDUS

O virginiano Stephen Bogardus é um ator mais de televisão do que de cinema. E é mais conhecido por ter participado de seriados e telefilmes policiais.
Mas ele acabou de gravar o 1º trabalho dele na área do terror: o filme Boarding School. E deve estrear ainda esse ano.
Bom, clique no link abaixo pra ver mais informações sobre o Stephen:





Até a próxima!

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

O ATAQUE DAS COBRAS

título original: Rattlers
título brasileiro: O Ataque das Cobras
ano de lançamento: 1976
país: Estados Unidos
elenco principal: Dan Priest, Elisabeth Chauvet, Sam Chew
direção: John McCauley
roteiro: Jerry Golding e John McCauley

Antes de entrar no assunto do post de hoje, só vou abrir um parêntesis pra dar um aviso.
Pra quem ainda não viu, o Grupo Bússola do Terror, do Facebook, tá sendo reformulado. Agora eu tô criando versões em vídeo dos textos que tão aqui e postando lá.
Mas teve gente que não encontrou a Bússola do Terror lá porque procurou como “página”. E ela tá lá como “grupo”. Então, quem quiser ir lá tem que entrar na seção de grupos do Facebook e escrever “Bússola do Terror”. Aí não tem erro.
Bom, vamos à sinopse do filme de hoje:

Num deserto dos Estados Unidos, as cascavéis começam a manifestar um comportamento extremamente feroz, atacando em bando e matando as pessoas que elas encontram aleatoriamente pelo deserto. E até mesmo atacando as fazendas da região e matando todas as pessoas e animais que elas encontram por lá!
Sem saber o que fazer, o xerife chama um professor de Biologia chamado Tom pra investigar o estranho fenômeno. E sob pressão do movimento feminista local, ele é obrigado a contratar pelo menos 1 profissional do sexo feminino pra participar do trabalho, chamando a fotógrafa Ann pra trabalhar em parceria com o Tom.
Eles observam no mapa todos os locais onde aconteceram ataques das cobras e veem que eles formam quase um círculo ao redor de um forte no deserto. E quando decidem ir até lá pra ver qual é a relação que isso tem com os ataques, percebem que o coronel responsável pelo forte sabe muito mais do que parece sobre o assunto...

O Ataque das Cobras é mais um filme que mostra um velho militar com mania de grandeza que acha que pode tudo. E os resultados da arrogância dele, é claro, são desastrosos.
Quanto às cenas em que as cascavéis atacam os humanos, não é nada que não possa passar na Sessão da Tarde.
O Ataque das Cobras tá bem longe de ser um clássico. Mas não é um filme ruim. E consegue contar uma história com início meio e fim, embora a cena final deixe uma porta aberta pra uma continuação (que nunca rolou).
Mas também dá pra ver que tem cenas que tão lá só pra encher linguiça, tem uma cena sem sentido do Tom pegando um helicóptero pra procurar cobras no chão do deserto lá embaixo (será que ele tem visão telescópica?)...
Mas se você nunca viu um filme de terror sobre cobras e quer começar por uma coisa mais light, O Ataque das Cobras é uma boa.
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre o filme:


Até a próxima!

sábado, 28 de outubro de 2017

RUPERT GRAVES

O inglês Rupert Graves é um ator mais de televisão do que de cinema. E é conhecido principalmente por dramas e suspenses.
Assim, as produções de terror em que ele se envolveu até hoje foram muito poucas. E todas bem recentes (na verdade, no mesmo ano).
Em 2016, o Rupert apareceu no filme de terror Sacrifício e também em 1 capítulo do seriado de terror The Nightmare Worlds of H.G. Wells.
E outro filme de que ele participou e que eu mencionei aqui foi Uma Janela Para o Amor (1985).
Bom, clique no link abaixo pra ver mais informações sobre o Rupert:







E dê uma clicada aí do lado em ‘produções italianas’ que você acha um post sobre Uma Janela Para o Amor.
Até a próxima!

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

MEDO PROFUNDO

título original: Black Water
título brasileiro: Medo Profundo
ano de lançamento: 2007
país: Austrália
elenco principal: Andy Rodoreda, Diana Glenn, Maeve Dermody
direção e roteiro:  Andrew Traucki e David Nerlich

Nas férias, uma garota sai pra viajar com a irmã e o cunhado. E aí eles decidem dar um passeio turístico de barco pelos pântanos.
Como o guia oficial acabou de sair, o assistente dele vai levar os 3 pra dar o passeio. E depois que eles chegam a uma parte mais afastada do rio, alguma coisa bate com força no casco do barco e joga todos eles no rio.
É um crocodilo enorme!
O guia morre imediatamente. E os 3 turistas conseguem subir numa árvore que cresce de dentro do rio.
Os celulares deles estragaram quando eles caíram na água. E assim, não tem como pedir socorro.
O crocodilo não foi embora, mas tá mergulhado na água ao redor da árvore. Água essa que é lamacenta demais pra se ver qualquer coisa que teja 10 centímetros abaixo da superfície.
O que fazer agora?

Medo Profundo foi inspirado numa história real, sobre 3 pessoas que ficaram presas numa árvore que crescia no meio de um lago, enquanto um crocodilo nadava ali em volta.
Mas, com esse tema, claro que não é um filme de muita ação. Ele aposta muito mais no terror psicológico. É um filme mais de suspense do que de terror.
Pra dizer a verdade, Medo Profundo aposta quase no mesmo tema que Fúria Sangrenta (2007): 4 pessoas são atacadas por um animal selvagem, 1 morre logo no início e os outros vão tentar sobreviver como puderem. Ou seja, é uma história que nem tem como se desenvolver muito, né? Mas aqui o diretor soube enervar o público melhor do que lá.
Cenas do crocodilo matando e/ou comendo alguém? Até tem. Mas só o mínimo. Não se esqueçam que os personagens aqui são muito poucos.
Então, veja esse filme se você gosta de nenhuma comédia, pouca ação e muito suspense.
Agora, uma curiosidade: o guia de turismo que sai pra passear com o pessoal é fã da Turma da Mônica! Ele tem um boneco do Cebolinha enfeitando o barco! Que meigo, né?rsrs
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre Medo Profundo:


E clique aí do lado em ‘mutantes’ que você acha um post sobre Fúria Sangrenta.
Até a próxima!

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

MURILO ROSA

O brasileiro Murilo Rosa é mais conhecido pelas várias novelas de que já participou. Mas acabou de ser lançada uma comédia de terror em que ele interpreta o diabo. Se trata da Comédia Divina.
Outra produção de que ele participou e que eu já indiquei aqui foi Caminho das Índias (2009).
Clique no link abaixo pra ver mais informações sobre o Murilo:








E clique aí do lado em ‘seriados’ que você acha um post sobre Caminho das Índias.
Até a próxima!

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

OS VINGADORES DO ESPAÇO

título original: Maguma Taishi
título brasileiro: Os Vingadores do Espaço
ano de lançamento: 1966
país: Japão
elenco principal: Masumi Okada, Tetsuya Uosumi, Toru Ohira
direção: Hidehito Ueda
roteiro: Osamu Tezuka

Depois de conquistar vários planetas, um vilão espacial chamado Goa decide se apossar da Terra. E assim, comunica os planos dele a um repórter chamado Atsushi, exigindo que ele propague a informação.
Durante a aparição do alien, o filho do Atsushi, chamado Mamoru, tira uma foto do invasor.
Horas depois, um jato de ouro se aproxima da casa da família e se transforma num robô gigante chamado Maguma. E diz ao Mamoru que precisa da foto que ele tirou do Goa pra poder analisar ela. E ainda convida o menino pra ir com ele até onde ele mora.
O Mamoru vai. E descobre que o Maguma é uma criação do velho mago Asu, que também criou uma robô de prata chamada Moru. E eles vieram de outro planeta pra defender a Terra da invasão do Goa.
O Maguma e a Moru se afeiçoam ao Mamoru. E pedem ao Asu pra criar um robô infantil que se assemelhe ao menino, pra que eles possam tratar como um filho. E assim, o velho cria o pequeno robô Gamu.
Feito isso, o Asu e seus 3 robôs vão passar a ajudar o Mamoru e o pai dele a enfrentar o vilão Goa.

Ultraman tava previsto pra ser o 1º seriado colorido da TV Japonesa. E assim, a P-Production correu e criou Os Vingadores do Espaço, pra que esse estreasse antes de Ultraman e ficasse com a glória de ser o 1º seriado colorido do Japão.
E conseguiu (por pouco): Os Vingadores do Espaço estreou 6 dias antes de Ultraman!rs
Os Vingadores do Espaço tem cenas de ação e aventura. Mas a história tem um desenrolar mais lento do que a de outros seriados do mesmo tipo: enquanto na maioria dos outros cada capítulo tem um tema diferente que começa e acaba no mesmo capítulo com um monstro que geralmente aparece e morre no mesmo capítulo, aqui o roteiro insiste no mesmo tema geralmente por 4 capítulos seguidos e mostra o mesmo monstro atacando durante esse período.
Pros padrões dos anos 60, até que os monstros não eram mal feitos. Mas nada que se compare a uma produção de hoje, evidentemente.
Aliás, muitos efeitos especiais eram desenhos animados simplesmente desenhados por cima do filme. Mas dava pro gasto.
Quanto à história em si, não há nenhuma grande evolução: do início ao fim não entra nenhum personagem novo, não sai nenhum personagem antigo, não aparece nenhum vilão que não seja o próprio Goa ou outro personagem associado a ele... E algumas coisas também são deixadas sem explicação quando o seriado acaba.
Mas acho que o que causaria mais polêmica nesse seriado nos dias de hoje é que o Atsushi e um amigo dele chamado Kita eram 2 fumantes compulsivos. Em pelo menos metade das cenas em que os 2 apareciam eles tavam fumando um cigarro atrás do outro. Imaginem se hoje isso seria aceito num programa dirigido a menores de 18 anos!
Quanto aos personagens, os heróis são bem armados e dispostos à luta. Mas o vilão, apesar de persistente nos planos dele, não é lá essas coisas. Aliás, ele sempre foge quando tem que enfrentar o Maguma pessoalmente.
Ele é um humanoide gordo, de pele cinza e cabelo back power. Enquanto o Asu parece uma versão mais antiga do Ejin do Fantástico Jaspion (1985).rs
No mais, Os Vingadores do Espaço é igual a qualquer outro seriado japonês com monstros gigantes.
Se você gosta de Ultraman e Spectreman (1971), também vai gostar desse aqui.
Clique aqui pra ver mais informações sobre Os Vingadores do Espaço:


E clique aí do lado em ‘produções japonesas’ que você acha posts sobre Jaspion, Spectreman e Ultraman.
Até a próxima!

sábado, 14 de outubro de 2017

JON SECADA

O cubano Jon Secada é mais conhecido pelas carreiras de cantor e dançarino. Mas desde os anos 90 ele também tem feito alguns trabalhos eventuais como ator.
Um deles foi a comédia de terror Dead 7 (2016), na qual ele interpretou o Xerife Cooper.
Bom, clique no link abaixo pra ver mais informações sobre o Jon:


Até a próxima!

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

FÚRIA SANGRENTA

título original: Grizzly Rage
título brasileiro: Fúria Sangrenta
ano de lançamento: 2007
país: Canadá
elenco principal: Graham Kosakoski, Kate Todd, Tyler Hoechlin
direção: David DeCoteau
roteiro: Arne Olsen

Em 2006, um grupo de amigos chamados Ritch, Sean, Wes e Lauren foram acampar numa floresta. E é o que eles pretendem voltar a fazer em 2007.
Mas, ainda na estrada, eles decidem mudar o itinerário e acham mais interessante ir explorar a parte mais isolada da mesma floresta, aonde eles nunca foram...
E depois de passar por vários avisos de “NÃO ULTRAPASSE!”, o Ritch se anima e começa a correr com o carro a altíssima velocidade, acabando por perder a direção. E ele bate numa árvore e atropela e mata um filhote de urso que tava ali por perto!
Obviamente a mãe do filhote também tá ali por perto. E mais obviamente ainda ela ficou furiosa com a situação que acabou de ver.
O grupo tenta fugir, mas a ursa não demora muitos minutos pra alcançar eles e acabar com o Ritch a patadas!
Conseguirão os 3 sobreviventes escapar à fúria do instinto materno da ursa?

Fúria Sangrenta é o tipo de longa-metragem que tem 2 faltas básicas: pouco elenco e pouco assunto.
Claro que isso não é problema pra um curta ou pra um média. Mas quando faltam esses 2 elementos num longa (e esse aqui tem 86 minutos), ele não tem como se desenvolver. O que resta fazer aí é botar um monte de cenas no filme só pra encher linguiça até ele se aproximar de 80 minutos pra poder ser considerado um longa.rs
Quando você vê um filme que mostra apenas 4 personagens perdidos numa floresta (na verdade, só 3, já que um morre logo no início) e fugindo de uma ursa furiosa, você já sabe que a única coisa que vai ver daí até a última cena é só isso mesmo e ponto final. Não tem como a história evoluir.
E tem até assuntos adicionais que poderiam dar numa história um pouquinho mais consistente se se desenvolvessem.
Por exemplo, os garotos encontram um lago da floresta que tá sendo usado ilegalmente como depósito de lixo tóxico. E isso faz uma insinuação superficial de que a ursa teve a estrutura física normal alterada pelo contato com as toxinas (isso explicaria uma certa capacidade de raciocinar e uma resistência física extrema que ela demonstra em algumas cenas). Mas o assunto é abandonado ao longo do filme.
Eles também encontram a cabana abandonada de um caçador, cheia de armadilhas e armas, insinuando que alguém já tentou matar ou capturar a ursa antes. Mas esse assunto também não se desenvolve.
Se esses assuntos fossem aproveitados melhor, não vou dizer que o filme viraria uma obra-prima. Mas, pelo menos, ficaria melhorzinho, né?
Ou então, que o diretor fizesse um média-metragem de 1 hora. Daria tempo de passar numa boa tudo o que ele quis mostrar ali.
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre Fúria Sangrenta:


Até a próxima!

sábado, 7 de outubro de 2017

EMILIANO D’ÁVILA

O brasileiro Emiliano D’Ávila talvez seja mais conhecido pelo seriado humorístico Vai que Cola (2013) e pelo filme homônimo (2015), inspirado no seriado.
Mas ele acabou de gravar o filme de terror Eu Ponho um Feitiço em Você, escrito e dirigido pelo Aaron Salles Torres.
São poucas as informações disponíveis sobre esse filme na Internet e nem parece ter data de estreia prevista. Mas eu acredito que ele já teja em fase de pós-produção, já que o trailer dele já pode ser facilmente encontrado em alguns sites.
Bom, clique no link abaixo pra ver mais informações sobre o Emiliano:






Até a próxima!

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

DANDO UMA MÃO À BOCA DO INFERNO

Hoje o post vai ser um pouquinho diferente.
O Gabriel Paixão, do site Boca do Inferno, postou um vídeo no YouTube e pediu que a gente ajudasse ou pelo menos divulgasse o vídeo. Então, é o que eu tô fazendo.
O que aconteceu foi o seguinte: como o banco de dados do site Boca do Inferno cresceu muito nos últimos anos, devido à grande ampliação que o site vem tendo, os administradores tiveram que mudar pra um servidor que suportasse essa nova carga. E por causa disso, eles tão precisando de uma força pra manter o site.
Então, quem quiser comprar algum dos produtos vendidos pelo site ou quem quiser contribuir diretamente com uma graninha (tem até um processo em que você pode contribuir só com R$ 1,00 por mês), eles agradecem.
Bom, clique aqui pra ver o vídeo:


Até a próxima!

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

O FANTASMA DO SHOPPING: A VINGANÇA

título original: Phantom of the Mall: Eric’s Revenge
título brasileiro: O Fantasma do Shopping: A Vingança
ano de lançamento: 1989
país: Estados Unidos
elenco principal: Derek Rydall, Kari Whitman, Rob Estes
direção: Richard Friedman
roteiro: Gaston Leroux (autor do texto original), Frederick R. Ulrich, Robert King, Scott J. Schneid e Tony Michelman

Em 1988, quando um shopping se encontrava em via de ser construído numa cidade do interior, só uma família se recusou a se mudar do terreno da futura construção.
A casa deles pegou fogo misteriosamente depois que as outras famílias já tinham saído dali. E todas as tentativas de investigar a causa do incêndio foram misteriosamente abafadas e não passaram da fase inicial...
Em 1989, o shopping finalmente é inaugurado. Mas ninguém percebe que um homem misterioso usando uma máscara anda pelos dutos de ventilação e observa tudo o que se passa no shopping.
Os poucos que chegam a ver o mascarado são eliminados no mesmo instante. Mas ele se preocupa mais em matar as pessoas que incomodam 3 amigos chamados Buzz, Suzie e Melody, que acabaram de arranjar empregos no shopping.
Os 3 eram amigos do Eric, o rapaz que morreu no incêndio no ano anterior. E a Melody, que era a namorada dele, é a mais explicitamente protegida pelo mascarado.
Mas será que o Eric morreu mesmo no incêndio?

Vagamente inspirado no livro O Fantasma da Ópera (1909), do francês Gaston Leroux, O Fantasma do Shopping: A Vingança é um filme que não faz muito suspense sobre a identidade do assassino. Antes do filme chegar no meio já fica bem evidente que o Eric sobreviveu ao incêndio, ficou deformado, passou a usar uma máscara pra se cobrir e foi se esconder nos dutos de ventilação do shopping.
O problema aí é que o filme deixa várias situações sem explicação. Principalmente o modo como ele conseguiu forjar a morte e o sepultamento dele (de alguma forma, ele fez com que um caixão vazio fosse enterrado num cemitério como se fosse ele!) e depois foi se esconder no shopping sem ninguém perceber.
Aliás, depois de se instalar ali, o Eric arranjou uma naja treinada pra atacar os inimigos dele... Como um cara deformado que agora vive escondido conseguiu sair por aí, arranjar uma cobra treinada e voltar pro esconderijo dele sem chamar a atenção de ninguém?
De qualquer forma, O Fantasma do Shopping consegue ser um slasher oitenteiro com um clima um pouquinho mais romântico do que os outros.
Quanto à vingança mencionada no título do filme, não é dos amigos que o Eric quer se vingar. Mas sim de quem incendiou a casa dele. E ele consegue!
Aliás, esse é outro suspense que o filme não faz.rs Porque, desde as primeiras cenas, já dá pra perceber quem são os culpados pelo incêndio, embora eles só sejam explicitamente revelados no final.
Bom, o que dizer? Não esperem grandes surpresas.rs
Clique aqui pra ver mais informações sobre O Fantasma do Shopping:


Até a próxima!

sábado, 30 de setembro de 2017

DALTON VIGH

O brasileiro Dalton Vigh é mais conhecido principalmente por todas as novelas de que já participou.
Mas tá pra ser lançado nos próximos dias o filme A Comédia Divina, do qual ele também participou.
Como o próprio título já deixa claro, se trata de uma comédia de terror, dirigida pelo Toni Venturi.
E outra produção da qual o Dalton participou e que eu já indiquei aqui foi O Clone (2001).
Bom, clique no link abaixo pra ver mais informações sobre o ator:








E dê uma clicada aí do lado em ‘seriados’ que você acha o post sobre O Clone.
Até a próxima!

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

O FANTASMA DA ÓPERA

título original: The Phantom of the Opera
título brasileiro: O Fantasma da Ópera
ano de lançamento: 1925
país: Estados Unidos
elenco principal: Lon Chaney, Mary Philbin, Norman Kerry
direção: Edward Sedgwick, Ernst Laemmle, Lon Chaney e Rupert Julian
roteiro: Gaston Leroux

No final do século XIX, a prima-dona do Teatro Opéra de Paris começa a receber misteriosas ameaças pelo correio, exigindo que ela abdique ao posto dela em favor de uma cantora secundária chamada Christine.
Depois de ignorar o caso, ela morre esmagada durante um show, quando o lustre do teatro cai sobre ela sem explicação.
Passado do espanto inicial, a Christine ouve a voz de um homem misterioso dizendo que vai dar tudo a ela, desde que ela passe a viver só pra ele.
E quando ele finalmente se mostra a ela, o que vemos é um homem usando uma máscara e com o resto do corpo todo coberto, que atrai ela pro gótico subsolo do teatro, descendo cada vez mais...
Aquele teatro foi construído sobre 5 andares subterrâneos de uma masmorra medieval abandonada. E os funcionários do teatro falam de um fantasma que vive ali, pois muitos já viram um homem todo coberto e escondendo o rosto andando pelos corredores do prédio. E ele sempre some sem deixar vestígio quando entra por qualquer porta ou faz a curva em qualquer corredor.
Seria o fantasma o tal admirador secreto da Christine? E seria ele realmente um fantasma ou um homem bem vivo que quer esconder o rosto por algum motivo mais estranho?

O livro O Fantasma da Ópera, do francês Gaston Leroux, foi lançado em 1909. E 15 anos depois, ele reformulou o texto pra forma de um roteiro cinematográfico, criando assim o filme homônimo (um filme mais antigo também inspirado no livro já tinha sido gravado em 1916, mas se perdeu).
Esse filme também pode ser considerado, guardando-se as devidas proporções, o 1º slasher da História do Cinema: mostra um vilão deformado e com problemas mentais que esconde a cara com uma máscara e que vai matando várias pessoas ao longo do filme. É quase o roteiro exato de um slasher oitenteiro, né?
O ator Lon Chaney, que interpretou o personagem-título, foi também um dos diretores do filme (e também foi ele que inventou a aparência que o vilão deveria ter).
Devido à época, é claro que O Fantasma da Ópera é um filme mudo e preto e branco. Mas, curiosamente, ele tem uma cena colorida, que se passa num baile de máscaras.
Aventura? Sim. Principalmente nos minutos finais, quando rola uma perseguição decisiva.
Comédia? Por incrível que pareça, sim.rs Principalmente nos primeiros minutos do filme, quando os funcionários do teatro tão conversando sobre a lenda do fantasma.
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre O Fantasma da Ópera:


Até a próxima!

sábado, 23 de setembro de 2017

SCOTT STYLES

O illinoisiano Scott Styles tem uma carreira de mais de 20 anos no meio pornô. E entre os filmes de que já participou, alguns foram de terror pornô.
Em 1999, ele apareceu em Succubus: Skin XVII.
E em 2009, o Scott foi visto em Count Rackula.
Bom, clique no link abaixo pra ver mais informações sobre o ator:









Até a próxima!

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

MOSQUITO MAN

títulos original e brasileiro: Mosquito Man
ano de lançamento: 2005
países: Bulgária / Estados Unidos
elenco principal: Corin Nemec, Matt Jordon (creditado aqui como Matthew Jordan), Musetta Vander
direção: Tibor Takács
roteiro: Boaz Davidson, Kenneth M. Badish (creditado aqui como Ken Badish), Michael Hurst e Ray Cannella

Surgiu um novo sistema de diminuição de pena pra condenados à morte: se o criminoso aceitar servir de cobaia pra algum novo experimento científico, a pena dele é mudada de execução pra outra coisa mais branda.
Ao mesmo tempo, começou uma epidemia transmitida por mosquitos. E uma cientista chamada Jennifer criou um mosquito mutante que ela pretende soltar na Natureza pra destruir os mosquitos infectados.
Mas o experimento ainda não foi testado... Assim, um bandido tá sendo levado ao laboratório pra fazer uso daquele sistema de diminuição de pena, servindo de cobaia pra Jennifer.
Só que, quando ele chega, consegue se soltar e pega a cientista como refém. E na confusão, ele acaba caindo por cima de uma mesa do laboratório. E todos os produtos químicos com o DNA dos mosquitos mutantes caem em cima dele, enquanto algumas substâncias respingam na Jennifer também.
O bandido foge logo depois. Mas em poucas horas ele se transforma num grande mosquito humanoide, que vai atacando todos os humanos que encontra pelo caminho e sugando todo o sangue deles.
A Jennifer começa a se transformar numa criatura da mesma espécie (num processo mais lento, já que ela foi atingida por uma quantidade menor de toxinas mutantes). E percebe que o monstro quer cruzar com ela e dar origem a várias criaturas iguais!

Produzido nos Estados Unidos e gravado na Bulgária, Mosquito Man é um telefilme de terror do subgênero ‘mutante’ que dá pro gasto. Tem lá o monstro feroz que age por instinto, o cientista ambicioso que leva a dele pelas mãos do mutante, a cientista boazinha que tenta fazer o bem com as experiências dela e acaba não conseguindo (pelo menos, não da forma como pretendia), um monte de figurantes sendo massacrados pelo mutante... Aliás, ele é um dos monstros de filmes de terror que matam mais gente! Eu acho que ele massacra umas 50 pessoas ao longo do filme todo!
Mas o filme também cometeu alguns erros bobos.
Por exemplo, o monstro é macho, certo? Mas mosquitos-machos não bebem sangue. Só as fêmeas é que bebem.
E ele consegue voar. Mas ele só tem umas asinhas ridículas nas costas. Como é que um bichão daquele tamanho, com mais de 2 metros, vai conseguir voar com aquelas asinhas?
Como curiosidade, podemos lembrar que quando tem um personagem humano que se transforma num monstro geralmente não é o mesmo ator que interpreta ele nas 2 formas, né? Bom, aqui foi.rs O jogador de futebol Matt Jordan deu vida ao personagem como o bandido humano e depois como o mosquito monstruoso.
E pra encerrar, vale lembrar que 2 filmes que eu já indiquei aqui, mais especificamente O Portão (1987) e O Portão II: Eles Estão de Volta (1990), também foram dirigidos pelo Tibor Takács.
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre Mosquito Man:


E dê uma clicada aí do lado em ‘produções canadenses’ que você acha posts sobre O Portão e O Portão II.
Até a próxima!

sábado, 16 de setembro de 2017

RON JEREMY

O nova-iorquino Ron Jeremy já fez literalmente TODOS os tipos de filme: aventura, comédia, desenho animado (como dublador), documentário, drama, épico, faroeste, ficção científica, musical, policial, romance, suspense, pornô e terror.
Nesse último caso ele estreou em 1980, quando apareceu no filme de terror pornô Dracula Exotica.
Em 1982, o Ron foi visto no filme de terror pornô The Devil in Miss Jones Part II.
No ano seguinte, ele teve no filme de terror pornô Kneel Before Me.
Em 1984, o Ron participou da comédia de terror Os Caça-Fantasmas.
Em 1986, ele apareceu no filme de terror pornô The Devil in Miss Jones 4: The Final Outrage.
No ano seguinte, ele foi visto no filme de terror pornô Lust of Blackula.
Em 1991, o Ron foi visto na paródia pornô O Penetrador do Futuro.
No ano seguinte, ele teve na comédia de terror Feast.
Em 1994, o Ron participou do filme de terror pornô Dracula.
Em 1996, ele apareceu nas comédias de terror They Bite e Tromeo & Juliet.
No ano seguinte, o Ron foi visto nos filmes de terror pornô Baron of Darkness e Night of the Living Bed.
Em 1999, ele teve na comédia de terror Um Terror de Equipe.
No ano 2000, o Ron participou de Citizen Toxie: The Toxic Avenger IV e The Baron of Darkness 2.
No ano seguinte, ele apareceu no filme de terror pornô The Unknown Curse.
Em 2002, o Ron foi visto em Fábrica da Morte. E no mesmo ano, ele teve em Hell’s Highway como ator e assistente de direção.
No ano seguinte, ele teve em Parts of the Family e Zombiegeddon.
Em 2004, o Ron participou de Creepies e Tales from the Crapper.
No ano seguinte, ele apareceu em Charlie’s Death Wish, Dark Angels 2, Dead Meat, Frankenstein vs. the Creature from Blood Cove, The Wickeds e The Witch’s Sabbath.
Em 2006, o Ron foi visto em Curse of Pirate Death, Poultrygeist: Night of the Chicken Dead e Slaughter Party e também protagonizou Bigfoot at Holler Creek Canyon.
No ano seguinte, ele teve no filme de terror pornô Succubus XXX.
Em 2008, ele participou de Not Bewitched XXX e O Monstro de Um Olho Só.
No ano seguinte, ele apareceu em Blood Moon Rising e em 1 capítulo do seriado de terror The Lair.
Em 2010, o Ron foi visto na comédia de terror Slaughter Weekend.
No ano seguinte, ele teve em Bloody Mary 3D, Chillerama, I Was a Teenage Werebear, Killer School Girls from Outer Space, Pânico na Escola e This Ain’t Ghostbusters XXX.
Em 2012, o Ron participou de Alien Babes in Heat, Bloody Bloody Bible Camp, Girls Gone Dead, Night of the Dead e Sorority Party Massacre.
No ano seguinte, ele apareceu em Alpha Girls.
Em 2014, o Ron foi visto nas comédias de terror Massacre em Jersey Shore e The Haunted Trailer.
No ano seguinte, ele teve em Bite School, Lady Psycho Killer, Silent Screams e Werewolves in Heat.
Em 2016, o Ron participou de Range 15 e Vamp Bikers Tres.
E agora em 2017, ele apareceu em Getting Schooled, Return to Return to Nuke ‘Em High Aka Vol. 2 e em VooDoo.
E tem um filme de terror novo do Ron já pronto e previsto pra ser lançado nos próximos meses. Se chama The Doll.
Outros filmes dele que eu já indiquei aqui no blog foram Batman XXX: A Porn Parody (2010) e 21 Hump Street (2012).
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre o Ron:


E dê uma clicada aí do lado em ‘comédias’ que você acha posts sobre 21 Hump Street, Batman XXX, Ghostbusters XXX e O Penetrador do Futuro.
Até a próxima!

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

A MALDIÇÃO DO HOMEM SEM FACE

título original: Curse of the Faceless Man
título brasileiro: A Maldição do Homem Sem Face
ano de lançamento: 1958
país: Estados Unidos
elenco principal: Bob Bryant, Elaine Edwards, Richard Anderson
direção: Edward L. Cahn
roteiro: Jerome Bixby

Pompeia. 79 d.C.
Um escravo chamado Quintillus Aurelius quer se casar com a filha de um homem rico. Mas o casamento entre pessoas de classes sociais tão afastadas é proibido no Império Romano.
Furioso, esse escravo, que é um devoto dos deuses etruscos, lança uma maldição sobre a família da mulher que ele deseja. Ele pede aos deuses que destruam a nobreza de Pompeia, que matem o povo de Pompeia e que façam perecer tudo o que estiver entre ele e sua impossível companheira. E deseja que o fogo que vem de dentro da terra consuma tudo ali e mantenha ele vivo depois que os romanos já não existam mais.
Os deuses etruscos ouvem o pedido desse devoto deles e causam a erupção do Monte Vesúvio, que destrói Pompeia. E transformam o corpo dele em pedra e fazem ele entrar numa espécie de hibernação, pra que ele sobreviva através dos milênios, mesmo soterrado pela lava do Vesúvio...
Ruínas de Pompeia. 1958.
Enquanto um grupo de arqueólogos escavam o chão, descobrem o corpo de um homem transformado em pedra. E mandam o artefato pra um museu pra ser estudado.
Uma amiga do dono do museu é ninguém menos do que a reencarnação da mulher com quem o Quintillus queria se casar há 1879 anos. E quando ele acorda da inconsciência em que foi mantido, vê ali uma nova chance de conseguir a mulher que nunca teve, nem pensando antes de matar qualquer pessoa que se coloque no caminho dele.

Bom, o monstro aqui é só uma figura humanoide e petrificada, que anda na mesma velocidade que um velho capenga e que não tem olhos nem nariz nem boca nem ouvidos.
Dá pra ver que a aparência dele não é a de uma das criaturas mais assustadoras que a gente já viu em filmes de terror. Qualquer pessoa só andando rápido já pode escapar dele. Só que os personagens aqui têm a tendência de enfrentar ele. Se não fosse por isso, ele nem ia ter condições de matar ninguém.
Os únicos poderes que ele apresenta são força física sobre-humana e invulnerabilidade a qualquer tipo de arma.
Quanto ao que fez ele ficar assim, a explicação básica, como já vimos, é o poder dos deuses etruscos. Mas os cientistas que analisam ele também levantam a teoria de que a terra onde ele foi soterrado tinha alguma substância química desconhecida que transformou ele num mutante.
Mas o que torna A Maldição do Homem Sem Face um filme realmente chato é a voz de um narrador, que entra mais ou menos de 5 em 5 minutos. E o pior: ele quase sempre entra pra explicar coisas óbvias, que a gente tá vendo com os próprios olhos. A participação dele no filme além de exagerada também é desnecessária.
No mais, posso dizer que esse é um filme que agrada fãs de filmes de terror dos anos 50.
E pra encerrar, vale lembrar que o recentemente falecido Richard Anderson protagonizou A Maldição do Homem Sem Face.
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre o filme:


Até a próxima!

sábado, 9 de setembro de 2017

ROB ROTTEN

O californiano Rob Rotten já participou como ator convencional dos filmes de terror convencionais Jackhammer (2004) e Zombie Love (2008).
Entretanto, além de ator convencional, ele também é roqueiro (a cara de punk não nega) e ator e diretor pornô. E com essa mistura, é claro que alguns dos filmes pornô de que ele participou têm toques de heavy metal e de terror.
Entre esses últimos, o mais antigo foi Porn of the Dead (2006), no qual o Rob trabalhou como diretor, roteirista e ator.
Depois veio Texas Vibrator Massacre (2008), no qual ele trabalhou como diretor, roteirista, ator e supervisor de trilha sonora.
Ah, sim: como o próprio nome deixa bem claro, Texas Vibrator Massacre é uma paródia pornô do clássico slasher O Massacre da Serra Elétrica (1974).
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre o Rob:


Até a próxima!

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

REINO DE FOGO

título original: Reign of Fire
título brasileiro: Reino de Fogo
ano de lançamento: 2002
países: Estados Unidos / Inglaterra / Irlanda
elenco principal: Christian Bale, Izabella Scorupco, Matthew McConaughey
direção: Rob Bowman
roteiro: Gregg Chabot, Kevin Peterka e Matt Greenberg

Em algum momento não muito claro da Pré-História, surgiu uma espécie de dinossauro que voava, cuspia fogo, comia compulsivamente e se reproduzia com uma velocidade assustadora.
Devido às características que eles tinham, comeram todas as outras espécies de dinossauros e fizeram o planeta mergulhar na Era do Gelo, quando entraram em hibernação até que a Natureza se recuperasse e passasse a oferecer mais alimento.
Alguns deles foram acordando ao longo dos milênios, dando origem aos mitos e lendas sobre os dragões.
Mas no início do século XXI, parece que todos os que ainda viviam em hibernação acordaram na mesma época e não demoraram a se espalhar pelo Mundo...
Em 2020, todas as cidades do Mundo já viraram ruínas. Quase todos os seres vivos foram comidos por esses dragões. E as poucas centenas de humanos sobreviventes vivem em comunidades alternativas.
Um homem chamado Quinn foi quem viu o 1º dessa nova leva de dragões acordar, quando ainda era um menino. E agora ele é o líder de uma dessas comunidades.
Dentro do possível, eles até vivem em paz. Até o dia em que um bando de nômades que se dizem caçadores de dragões entram em contato com eles, propondo unir as forças pra exterminar todos os dragões do Mundo...

Considerado uma superprodução e contando com a presença do Matthew McConaughey, Reino de Fogo foi produzido nos Estados Unidos e filmado na Inglaterra e Irlanda.
Embora, no roteiro original, a história se passasse em 2084, quando o filme foi feito de fato a data foi mudada pra 2020. Inclusive, no trailer do filme, esqueceram de corrigir essa parte. E ainda hoje o narrador fala “2084”.rs
Obviamente Reino de Fogo é um filme bom, tem bons efeitos especiais e mostra as coisas que você espera ver num filme desse tipo.
Claro que uma coisinha ou outra ficou mal explicada...
Por exemplo, a espécie dos dragões é constituída por 1 único macho e centenas de fêmeas. E os humanos que estudaram eles afirmam que o cruzamento deles é externo. Mas quando eles abatem uma fêmea, descobrem que tinha um ovo dentro dela e um feto dentro do ovo. E pra que qualquer fêmea do Mundo tenha um feto dentro dela, ela tem que ter recebido esperma dentro dela. Portanto, o cruzamento é interno.
O tamanho do dragão-macho também é bastante incerto, pois não foi respeitado de uma cena pra outra. Ele é sempre retratado como muito, muito, muito maior do que as fêmeas. Mas em algumas cenas ele parece ter uns 500 metros e em outras ele parece ter menos de 50 metros.
Aliás, o que um bicho daquele tamanho come pra se manter vivo? Uns 5 ou 6 elefantes por dia?rs Exageraram no tamanho da criatura tanto quanto exageraram no tamanho do Kraken de Fúria de Titãs (2010).
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre Reino de Fogo:


E dê uma clicada aí do lado em ‘criaturas subterrâneas’ que você acha um post sobre Fúria de Titãs.
Até a próxima!

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

JOEY RAY

O massachusettsano Joey Ray (também creditado em alguns trabalhos como Andy Treehorn e Pouder) tem seguido há muitos anos na carreira de ator pornô. Mas foram poucas as produções de terror pornô de que ele participou.
Em 2006, ele apareceu em Curse Eternal e em Porn of the Dead.
E no ano seguinte, o Joey foi visto em Supernatural.
Clique no link abaixo pra ver mais informações sobre o ator:










Até a próxima!

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

CHOJU SENTAI LIVEMAN

título original: Choju Sentai Liveman
título brasileiro: inexistente (inédito no Brasil)
ano de lançamento: 1988
país: Japão
elenco principal: Daisuke Shima, Kazuhiko Nishimura, Masa-Aki Yamaguchi, Megumi Mori, Shinobu Komoto
direção: Minoru Yamada, Shouhei Toujou e Takao Nagaishi
roteiro: Hirohisa Soda e Toshiki Inoue

Nos anos 80, a ONU instalou um centro de estudos científicos pra jovens do Mundo inteiro que apresentassem Q.I. acima da média na Ilha Academy.
Em 1986, 3 estudantes abandonam o centro, alegando que a instituição visa apenas a evolução da Humanidade. E eles desprezam a Humanidade! E logo depois, os 3 se preparam pra embarcar numa nave que pousa no campus da ilha.
Curiosos, 2 estudantes que desenvolveram trajes especiais tão resistentes quanto armaduras se aproximam dali, seguidos por 3 colegas chamados Yusuke, Jo e Megumi.
Quando os 3 dissidentes percebem que tão sendo observados, um deles atira nos 2 colegas que se aproximaram, matando os 2 diante dos olhos perplexos do Yusuke, do Jo e da Megumi. E depois eles decolam com a nave e somem no Céu.
Passados 2 anos desse bizarro acontecimento, uma esquadrilha de naves espaciais chega de repente e bombardeia toda a Ilha Academy, destruindo quase tudo. E de dentro de uma delas saem ninguém menos que os 3 dissidentes, que agora dizem que se chamam Kemp, Obura e Mazenda.
Eles agora fazem parte de uma organização chamada Volt, dirigida por um grande cientista chamado Biasu. E dizem que vieram tomar a Terra pra ele.
Mas o Yusuke, o Jo e a Megumi também têm uma surpresa: retomando as experiências deixadas pelos 2 colegas assassinados, eles criaram trajes ainda mais resistentes do que os deles. E acionando esses trajes, os 3 declaram que agora formam um grupo chamado Choju Sentai Liveman.
A partir de agora, começa a guerra entre Liveman e Volt!

Se você é fã de sentais e desconhece Choju Sentai Liveman, posso dizer que ele não chega a mostrar grandes novidades pros padrões dos anos 80. Mas se saiu melhor do que alguns outros seriados do mesmo tipo.
O tema principal questiona do 1º ao último capítulo até que ponto uma pessoa que era boa pode ficar má, até que ponto ela tá só fingindo que ficou má... Simplificando: a história trabalha o tempo todo com a possibilidade de uma pessoa que praticou atos perversos poder voltar atrás e se redimir ou então preferir seguir até o fim nas escolhas perversas que fez.
Sobre o Kemp, o Obura e a Mazenda, não vou dizer qual tem qual destino.rs Mas posso dizer que eles têm 3 fins diferentes: um se arrepende das perversidades que cometeu ainda no início e consegue se redimir, outro só percebe que errou quando tá morrendo já é tarde demais e outro segue até o fim e morre cumprindo seus objetivos perversos. Isso sem falar em outros vilões fixos que aparecem depois e também são submetidos ao tema em questão.
E na reta final do seriado, 2 novos guerreiros se juntam aos Liveman, formando um esquadrão de 5.
Em relação aos efeitos especiais, principalmente nos primeiros capítulos, o seriado não deixa a desejar. Até o monstro do capítulo, quando morre, tem uma cena de explosão mais bem feita do que nos sentais anteriores.
Liveman foi feito logo depois de Defensores da Luz Maskman (1987). E quase passou no Brasil. Mas, como houve uma certa queda de audiência dos seriados japoneses na época em que Maskman foi transmitido aqui, nenhuma emissora se animou muito a exibir outro sentai, achando que a fórmula já tava esgotada por aqui.
E pra quem é fã de seriados japoneses de aventura, quero lembrar que vai encontrar aqui vários rostos conhecidos...
O ator Joji Nakata, que já tinha interpretado o Kaura em Comando Estelar Flashman (1986), reaparece aqui como o vilão principal Biasu.
O ator Yutaka Hirose, que já tinha feito várias pontas em Esquadrão Relâmpago Changeman e O Fantástico Jaspion (ambos de 1985) e também já tinha interpretado o Wandar em Flashman, reaparece aqui como o Kemp. E ele também interpretaria o vilão Jin em Gosei Sentai Dairenja (1993).
O ator Yoshinori Okamoto, que já tinha interpretado o Buba em Changeman, o Galdan em Flashman e o Oyobu em Maskman, reaparece aqui como o Ashura. E ele também interpretaria o pai do Geki em Kyoryu Sentai Jurenja (1992) e um dos 4 reis de Goma em Dairenja.
E a atriz Akiko Kuruso (essa é menos conhecida no Brasil, porque os seriados em que ela aparece nunca foram lançados comercialmente aqui) aparece aqui interpretando a Mazenda. Mas ela reapareceria em Dairenja interpretando a Gara.
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre Liveman:


E dê uma clicada aí do lado em ‘produções japonesas’ que você acha posts sobre Changeman, Dairenja, Flashman, Jaspion, Jurenja e Maskman.
Até a próxima!

sábado, 26 de agosto de 2017

CHRIS GRAHAM

O neozelandês Chris Graham é mais conhecido no Brasil por ter feito várias pontas nos seriados Hércules; Xena, a Princesa Guerreira (ambos de 1995); e O Jovem Hércules (1998) e também por ter interpretado um dos rangers da 14ª temporada de Power Rangers (2006). E quase todas as produções em que ele trabalhou até hoje foram pra televisão mesmo.
Mas um dos raros trabalhos cinematográficos que ele fez foi um filme de terror: Entrevista com o Assassino (1997).
Bom, clique no link abaixo pra ver mais informações sobre o Chris:








Até a próxima!

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

A MALDIÇÃO DO TALISMÃ

título original: Curse of the Talisman
título brasileiro: A Maldição do Talismã
ano de lançamento: 2001
países: Austrália / Estados Unidos
elenco principal: Jesse Spencer, Rod Mullinar, Sara Gleeson
direção: Colin Budds
roteiro: Duncan Kennedy

Na 2ª metade da Idade Média, os alquimistas, católicos conservadores e satanistas ingleses fizeram uma aliança pra punir as sociedades dominadas pela corrupção, decidindo que as gárgulas deveriam vir à vida pra cumprir essa missão. E parecem ter submetido algumas centenas de gárgulas a uma magia que proporcionou isso.
Entretanto, a vida das gárgulas ficou associada a 8 talismãs de prata em forma de monstros: se alguém derramar sangue sobre um desses talismãs, uma das gárgulas adquire vida e, 5 noites depois, ela realiza um ritual que faz as outras adquirirem vida também. E então, transformadas em pequenos monstros alados e com chifres, elas destroem por completo a cidade onde se encontram no momento e matam todos os habitantes.

Essa lenda, lançada pelo telefilme A Maldição do Talismã, é o ponto de partida pras aventuras de 3 amigos adolescentes que estudam na mesma escola, já que um deles, chamado Jeremy, trabalha numa loja de muamba. E ali foram parar uma das gárgulas (ainda transformada em pedra) e um dos talismãs. E ao pegar o talismã pra olhar melhor, o Jeremy se espeta nele e acaba sujando o talismã com o sangue dele...
No mesmo instante, a gárgula assume a sua forma monstruosa e se prepara pra transformar as ‘colegas’ quando tiver se passado o período de 5 noites a partir dali. E nesse meio tempo, ela vai atacando os habitantes da cidade e matando algumas pessoas e animais que encontra pelo caminho...
Produzido nos Estados Unidos e filmado na Austrália, A Maldição do Talismã é um bom filme pra quem gosta de ‘terror adolescente’, mas não passa disso. E dá pra ver que foi feito tendo como público-alvo os jovens mesmo.
Tem boas cenas de ação (principalmente de perseguição), bons efeitos especiais (dentro do que se espera ver num filme desse tipo) e consegue contar uma história com início, meio e fim.
Aliás, a última cena deixa uma porta aberta pra pelo menos 3 continuações! Mas não rolou nenhuma.rs
Acontece que A Maldição do Talismã não chamou muita atenção nem ao menos na época em que foi lançado. E hoje ainda é difícil encontrar uma grande quantidade de sites que tragam informações significativas sobre esse filme.
Claro que não é um filme pra ver com grandes expectativas, porque o filme em si não teve nenhuma intenção de criar grandes expectativas. Mas é um bom filme de terror pra ver e se distrair sem compromisso.
Clique aqui pra ver mais informações sobre A Maldição do Talismã:


Até a próxima!