segunda-feira, 16 de julho de 2018

O LABIRINTO DO FAUNO

título original: El Laberinto del Fauno
título brasileiro: O Labirinto do Fauno
ano de lançamento: 2006
países: Espanha / Estados Unidos / México
elenco principal: Ivana Baquero, Maribel Verdú, Sergi López
direção e roteiro: Guillermo del Toro

Com o fim da Guerra Civil Espanhola, os poucos rebeldes que ainda existem vivem escondidos nas florestas e montanhas, usando suas últimas forças pra derrubar o Franquismo, a ditadura que se instalou.
Um capitão franquista chamado Vidal vive num moinho no meio de uma dessas florestas, que ele agora usa como base, sem desconfiar que a empregada Mercedes é uma espiã rebelde. E perto dali fica um misterioso labirinto, aparentemente construído na época do Império Romano, onde ninguém entra, com medo de se perder.
Uma viúva acabou de se casar com ele. E ela tem uma filha do 1º casamento, chamada Ofelia, que é fã de contos de fada.
Indiferente a isso, o Vidal continua praticando atos de sadismo contra os rebeldes capturados.

A partir desse ponto, O Labirinto do Fauno pode ser assistido de 2 formas diferentes, já que a Ofelia começa a enxergar vários seres sobrenaturais que só ela vê. E um deles, o Fauno, diz que ela é a reencarnação de uma princesa encantada. E que dentro do labirinto existe uma passagem pra ela ir pro antigo reino dela. Mas, pra fazer isso, antes ela tem que cumprir 3 provas, que só vão ser reveladas a ela no momento de serem cumpridas.
Então, como 1ª possibilidade, podemos entender que tudo o que aparece é mesmo real, embora só a Ofelia veja (o filme insinua isso em algumas cenas, como quando ela consegue escapar do quarto onde tava trancada com a ajuda do Fauno); ou, como 2ª possibilidade, podemos entender que era só imaginação dela, como uma fuga do ambiente em que ela vivia (o filme também insinua isso em algumas cenas, como quando o Vidal encontra ela no labirinto falando sozinha enquanto ela se via falando com o Fauno).
Na verdade, O Labirinto do Fauno tem várias metáforas e mensagens subliminares. E dando um passeio aí pela Internet, você encontra vários sites fazendo dissertações enormes sobre cada cena do filme.
É interessante lembrar que, embora a gente veja aqui seres sobrenaturais e cenas de violência fortes, quem comete os atos mais aterrorizantes não são os seres sobrenaturais (com uma certa exceção em relação ao monstro que fica sentado à mesa do banquete), mas sim os vilões humanos do filme.
Sobre a produção, os efeitos especiais são ótimos.
O Labirinto do Fauno foi todo filmado na Espanha, embora algumas partes da produção tenham sido no México e nos Estados Unidos.
Foi o filme que ganhou mais prêmios em 2006.
Uma coisa pouco comentada é que a canção de ninar entoada por alguns personagens durante o filme parece ter sido inspirada no tema de um filme de terror de 1972 chamado The Legend of  Boggy Creek. E eu acredito que não tenha sido exatamente por acaso.
Vou deixar a tradução aqui pra explicar o que eu quero dizer:

Lonely Cry

É aqui que a história acontece
Um mundo que raramente olhamos
Uma página do livro dos dias passados
Aves, feras, vento e água
Aqui abaixo do Céu azul brilhante
Nenhum homem embaça a visão da águia
E coisas que rastejam, nadam, voam,
Alimentam-se, reproduzem-se, vivem e morrem
Aqui o fluxo do rio de enxofre
Segue enquanto a nuvem de tempestade sopra
É pra esse lugar que a criatura vai
Segura dentro de um mundo que ela conhece
Talvez ela vagamente se pergunte:
“Por que não há outro como eu?
Pra eu tocar e amar antes de morrer?
Pra ouvir meu choro solitário?”
(Earl E. Smith)

A letra dessa música descreve mais ou menos a situação da Ofelia, né?
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre O Labirinto do Fauno:


Até a próxima!

sábado, 14 de julho de 2018

TOMMY GUNN

O neo-jerseyano Tommy Gunn (também creditado algumas vezes como Thomas Strada) é um veterano do meio pornô, já tendo participado de mais de 1000 filmes do gênero. E assim, claro que algumas produções em que ele se envolveu foram filmes de terror pornô.
Em 2004, ele apareceu em Eye of the Beholder.
No ano seguinte, o Tommy foi visto na comédia de terror pornô Camp Cuddly Pines Powertool Massacre e em Dark Angels 2.
Em 2007, ele participou de Shay Jordan: Scream.
Em 2009, o Tommy teve em Stoya: Scream.
Em 2013, ele apareceu na comédia de terror pornô The Walking Dead: A Hardcore Parody.
No ano seguinte, o Tommy foi visto em The Hunted: City of Angels.
Em 2011, ele participou da comédia de terror pornô de A Big Tit Whorror Flick.
E em 2015, o Tommy teve em Demon Lust.
Mas se engana quem pensa que os filmes de terror de que ele participou foram todos pornô. Ele também já apareceu em algumas poucas produções de terror convencionais.
Assim, em 2011, o Tommy apareceu em KillFuck.
Em 2014, ele foi visto em Lobos.
E em 2016, o Tommy participou de 1 capítulo do seriado de terror World War XXX.
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre o ator:


Até a próxima!

segunda-feira, 9 de julho de 2018

ABELHAS ASSASSINAS

título original: Killer Bees
título brasileiro: Abelhas Assassinas
ano de lançamento: 2002
países: Canadá / Estados Unidos
elenco principal: C. Thomas Howell, Fiona Loewi, Tracy Nelson
direção: Penelope Buitenhuis
roteiro: Dana Stone

No interior dos Estados Unidos fica uma cidade que tem a produção de mel como a sua principal atividade comercial.
O xerife da cidade, chamado Lyndon, sempre morou ali e conhece todos os habitantes mais velhos. E assim, ele acaba se tornando profissionalmente relapso, pois sempre que tem algum problema jurídico, ele fica com pena das pessoas envolvidas e nunca prende ninguém.
Além de entrar num processo de divórcio que não ata nem desata, ele tem um problema mais sério pra resolver: 1 homem e algumas vacas apareceram mortos, ferroados por abelhas.
Uma especialista em insetos chamada Riley analisa as abelhas encontradas no cadáver do homem e conclui que são uma raça de abelhas africanas. E ela diz que alguns apicultores ambiciosos têm usado essas abelhas em vez de abelhas comuns nos seus processos de polinização.
A forma de evitar que apareçam mais vítimas seria mandar os apicultores fecharem as suas abelhas nas colmeias até 2ª ordem. Mas, quando o Lyndon diz isso em público, ninguém dá a mínima pras palavras dele.
Além disso, vai acontecer uma festa municipal nos próximos dias e o prefeito não quer que nada atrapalhe as comemorações.
Como parece que não adianta nem alertar a população, só resta ao Lyndon e à Riley esperar que a desgraça aconteça e aí decidir na hora o que fazer.

Abelhas Assassinas é um filme de terror light. Ou seja, se você tá esperando um terrorzão, já posso adiantar que vai se decepcionar. Claro que as abelhas atacam e matam vários personagens, mas pouca coisa é mostrada explicitamente.
Além de meia dúzia de cenas completamente desnecessárias, também tem alguns personagens que fazem coisas idiotas, como uma multidão que foge do enxame e corre exatamente pro lugar fechado onde as abelhas se concentraram (?!).
Mas não chega a ser uma comédia involuntária, porque as babaquices que o filme mostra são aquelas que nem fazem você rir (nem sem querer).
As abelhas usadas nas gravações são de verdade? Bom, até aparecem algumas abelhas de verdade. Mas 90% delas são CGI. E na maioria das cenas são bem mal feitas.
É um filme trash? Bom, eu classificaria mais como um ‘filme bobo’.
Clique aqui pra ver mais informações sobre Abelhas Assassinas:


Até!

sexta-feira, 6 de julho de 2018

PATRICK MOURE

O brasileiro Patrick Moure (também creditado algumas vezes como Patrick Pollito) teve, em 2006, uma rápida carreira como ator de filmes pornô, chegando a participar só de uns poucos filmes naquele ano (embora ele tenha sido visto em filmes pornô de vários segmentos diferentes).
Assim, ele só chegou a participar de 1 filme de terror pornô: Possuída pelo Sexo.
Outro filme de que o Patrick participou e que eu já mencionei aqui no blog foi Família Incestuosa 3 (obviamente os 2 filmes que eu mencionei aqui são de 2006, o único ano em que ele teve na ativa).
Bom, clique no link abaixo pra ver mais informações sobre o ator:






E dê uma clicada aí do lado em ‘produções brasileiras’ que você acha um post sobre Família Incestuosa 3.
Até a próxima!

segunda-feira, 2 de julho de 2018

NÁUFRAGO

título original: Cast Away
título brasileiro: Náufrago
ano de lançamento: 2000
países: Estados Unidos / Fiji / Filipinas / Rússia
elenco principal: Helen Hunt, Nick Searcy, Tom Hanks
direção: Robert Zemeckis
roteiro: William Broyles Jr.

O workaholic Chuck é um gerente da FedEx. E numa noite de 1995, numa das viagens de trabalho que ele tem que fazer, o avião dele de repente é engolido por uma tempestade e derrubado no Mar.
O Chuck fica preso a um bote salva-vidas, que mantém ele na superfície da água. E flutua até uma pequena ilha deserta.
Não há animais nem água potável ali. Mas a ilha tem uma floresta e um grande rochedo no meio.
Subindo até o alto do rochedo, o Chuck vê que a ilha é cercada por um grande anel de corais, o que forma quase uma muralha natural isolando a ilha do resto do Mundo.
Em outras palavras, vai ser difícil tanto ficar ali quanto tentar sair.
O que fazer agora?

Náufrago é um filme que surgiu de uma ideia do próprio Tom Hanks, que interpreta o herói principal: ele queria fazer um filme de aventura que fosse uma versão moderna do livro Robinson Crusoe (1719), do inglês Daniel Defoe. Mas, apesar de se passar no final do século XX, não deveria ter bandidos, cenas de tiroteios nem nada parecido.
Tudo foi gravado em 2 etapas: 8 meses de gravação contando a parte da história que se passa em 1995, intervalo de 1 ano e mais 8 meses de gravação contando a parte da história que se passa em 1999.
Ou seja: houve um intervalo de 1 ano nas gravações, porque o Tom tinha que ter tempo pra mudar de aparência pra interpretar o Chuck nas 2 épocas: meio gordinho e com os cabelos e a barba cuidados e depois magro e com os cabelos e a barba crescidos e desalinhados.
A única companhia que o Chuck tem na fase que passa na ilha é o boneco rústico Wilson, construído a partir de uma bola de vôlei da marca Wilson com algumas folhas de árvores.
Mas a parte mais filosófica do filme é a que diz respeito a uma caixa que ele encontra com o desenho moderno de um anjo...
Acontece que várias caixas que eram transportadas no avião chegaram boiando à ilha e a única que ele não abriu foi essa com o desenho do anjo, certamente porque ele via como um símbolo sagrado e intocável. E mais tarde, ele chega a declarar que a caixa salvou a vida dele, pois a fé dele (representada pela caixa) salvou a vida dele.
Náufrago foi uma coprodução: teve cenas gravadas em Estados Unidos, Fiji, Filipinas e Rússia.
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre o filme:


Até a próxima!