segunda-feira, 28 de abril de 2014

PORNO HOLOCAUST

título original: Porno Holocaust
título brasileiro: inexistente (inédito no Brasil)
ano de lançamento: 1981
países: Itália / República Dominicana
elenco principal: George Eastman, Lucia Ramirez, Mark Shannon
direção: Joe D’Amato
roteiro: George Eastman (creditado aqui como Tom Salina)

Depois de assistir pessoalmente a morte da esposa e do filho num evento trágico, um homem fica louco e deformado. E passa a matar basicamente todas as pessoas que encontra pela frente na ilha onde ele mora.
Mas o passado dele só é revelado quando uma mulher presa na ilha (o barco que ela usou pra chegar lá se perdeu por causa dele) lê um diário com essas informações sobre o que aconteceu ali antes.

Isso parece o roteiro de Antropophagus (1980), né? Mas se trata de Porno Holocaust.
A semelhança não é por acaso: o George Eastman, que foi o roteirista dos 2 filmes (embora aqui ele tenha usado o pseudônimo de Tom Salina) parece ter reaproveitado o roteiro de Antropophagus pra criar Porno Holocaust. Mas acrescentando algumas características de ficção científica.
Mas o diretor Joe D’Amato teve desde o início a intenção de fazer aqui um filme pornô, como o próprio nome do filme já deixa bem claro. Então, ele carregou nas cenas de sexo de verdade.
Porno Holocaust foi gravado ao mesmo tempo, nos mesmos lugares e quase com o mesmo elenco que Le Notti Erotiche dei Morti Viventi (1980). Mas só foi lançado alguns meses depois desse outro.
Acontece que gravar mais de 1 filme ao mesmo tempo era comum pra dupla dinâmica do Cinema de Terror Italiano do início dos anos 80 (leia-se: George Eastman & Joe D’Amato). Tanto que eles também lançaram seguidamente Antropophagus e Rosso Sangue (1981). E como o diretor tinha muita experiência na área da pornografia, em alguns desses filmes ele botou algumas cenas reais de sexo... Só que em Porno Holocaust ele pisou no acelerador e foi com tudo mesmo nesse sentido.rs
Bom, simplificando temos aqui um filme de mutante misturado com slasher. Então, quem é fã desses 2 subgêneros deve gostar. Mas quem quiser assistir pra ver só sacanagem, tudo bem. Também é válido.rs Então, funciona nos 3 pontos.
Mas não vamos fechar os olhos pro óbvio: Porno Holocaust tem muitas cenas mal filmadas, contradições e efeitos especiais ‘feitos no quintal’. Entretanto, se você não se incomodar com isso, vale a pena ver, com certeza.
Bom, clique aqui pra ver mais informações:


E clique aí do lado em ‘produções italianas’ que você acha posts sobre Antropophagus, Le Notti Erotiche dei Morti Viventi e Rosso Sangue.
Até a próxima!

4 comentários:

Skyline Spirit disse...

pretty nice blog, following :)

Bússola do Terror disse...

OK. Thank you!

Marcelo Keiser disse...

Baixei esse filme já faz algum tempo (inclusive por sua recomendação), mas só assisti está semana. Confesso sumariamente que é um filme estranho para mim, acostumado a ver produções mais recentes dos gêneros (ficção, pornografia e terror) com os quais "Porno Holocaust" acaba curiosamente mesclando tudo. Embora por serem mais recentes essas produções as quais eu me refiro, elas são dotadas de esmero e arrojo narrativo mais apurado diferente da proposta de Joe claramente datada na película. Evidentemente é por isso a estranheza.
Mas o sentimento de estranheza foi sumindo aos poucos com o decorrer do tempo, a partir do momento que você passa a se acostumar e a entender sua proposta. Confesso também que não tenho o hábito de ver filmes assim com frequência, mas ainda assim tenho ocasionalmente vontade de conhece-los. Ultimamente bastante. Em resumo, posso afirmar que gostei do filme. Sua genialidade está na simplicidade. Mas algo que me chama a atenção na verdade, não é necessariamente o filme. Mas alguns aspectos em volta da produção (alguns até descritos em seu post que fiquei sabendo de outras fontes também) que me familiarizam com detalhes dos bastidores da fita. Particularmente o de reutilizar o material (físico e intelectual de outro filme) buscando imagino eu, o aperfeiçoamento é uma ideia fantástica, embora pense ser extremamente inviável financeiramente. Independente o quão baixo fossem os custos, a verdade é que ainda há custos mesmo havendo a reutilização do material.
Já havia ouvido falar de cineastas que faziam isso, mas nunca busquei conhecer os filmes que estão interligados. Agora, ando buscando os tais irmãos de "Porno Holocaust" para matar minha curiosidade. Com o tempo vou descobrindo e espero eu, aprendendo.

abraço e mais uma vez, obrigado!

Bússola do Terror disse...

Bom, em 1º lugar, temos que reconhecer que é mesmo um filme com uma estética bem diferente do comum (inclusive se for comparado a outros filmes pornô).
Na verdade é tudo filmado de uma forma bastante artesanal.
Não é um filme pra qualquer pessoa ver, é claro. Mas eu também gostei do filme, tendo como foco a proposta que ele oferece, é claro.
Fico feliz que você tenha, de alguma forma, aumentado os seus conhecimentos sobre esse tipo de produção cinematográfica em parte por causa do filme.
Abraço também!