quarta-feira, 17 de outubro de 2012

CALÍGULA



títulos originais: Caligola / Caligula
título brasileiro: Calígula
ano de lançamento: 1979
países: Estados Unidos / Itália
elenco principal: John Gielgud, Malcolm McDowell, Peter O’Toole
direção: Bob Guccione, Giancarlo Lui e Tinto Brass
roteiro: Bob Guccione, Giancarlo Lui e Gore Vidal

“Filme pornô de luxo.”

“Filme pornô chique.”

“Filme pornô pra intelectuais.”

É. Calígula já foi chamado de tudo isso. E não podemos negar que é mesmo um filme pornô, pois contém cenas reais de sexo no início, no meio e no fim do seu desenrolar.
Só que não era bem isso que era pra ser no início...
Depois que Calígula estreou, a atriz Anneka di Lorenzo (hoje já falecida) processou a direção do filme, por terem feito ela participar de um filme pornô sem ela saber: de acordo com a atriz, as cenas reais de sexo só foram feitas depois que o resto do filme já tava pronto. E várias outras fontes parecem confirmar o que ela disse, mostrando que a maior parte do elenco convencional nem sabia que as cenas pornô seriam feitas e anexadas ao filme.
Diga-se de passagem, são cenas pornô de TODOS os tipos: cenas héteros, cenas gays e cenas lésbicas.
Cenas de sexo simulado também aparecem com frequência entre o elenco convencional. E homens pelados e mulheres peladas (inclusive em cenas sem teor sexual) podem ser vistos ao longo do filme todo.
Polêmicas à parte, o que Calígula faz é contar, de forma muito fantasiosa, os últimos dias de reinado do Imperador Tiberius I e depois o reinado todo do Imperador Calígula (respectivamente, o 2º e o 3º imperadores do Império Romano).
Mas a tecnologia avançada que é atribuída à época (lembrando que a história se passa no século I), os exageros com que os cenários são mostrados e a forma caricata como a personalidade dos personagens é retratada, acabam transformando Calígula numa simples comédia de humor cáustico, regada a cenas de nudez e sexo. Tem lá umas 3 ou 4 cenas que tentam reproduzir acontecimentos reais, mas o resto do filme é fantasia... Ou pornografia, né?rsrs
Se é isso que você tá procurando, divirta-se. Mas se você tá atrás de um filme épico, que procura retratar fielmente o Império Romano, não é isso que você vai encontrar aqui.
Clique aqui pra ver mais informações sobre Calígula:


Até a próxima!

9 comentários:

Alan Raspante disse...

Olha, eu fui ver Calígula nas melhores intenções e fiquei com a cara no chão, rs Quando fui ver, na época, nem imaginava que existia as tais cenas, não cheguei até o final não, hahaha

Enfim, pra quem curte o "gênero" é uma boa pedida!

Marcelo C,M disse...

A quem diga que o que rola ali, era a realidade crua do imperio romano daquele tempo.

Gilberto Carlos disse...

Calígula é um ótimo filme e a prova de que o erotismo pode gerar bons filmes.

Hugo disse...

A história por trás do filme é interessante e confusa.

O diretor Tinto Brass era famoso por filmes eróticos soft, cheio de mulheres peladas e sexo encenado. Quando ele montou "Calígula", o produtor Bob Guccione, que era dono da revista Penthouse, odiou o resultado e decidiu filmar cenas de sexo por conta própria, sem a presença do diretor e posteriormente inseriu estas cenas no filme.

Os atores famosos como Peter O'Toole, Helen Mirren e John Gielgud no final fizeram parte de um filme pornô sem terem assinado contrato para tal.

Abraço

Bússola do Terror disse...

Alan→ Eu vi pela 1ª vez em VHS. Mas na capa já avisava que o filme contém cenas de sexo explícito. Então, não cheguei a levar nenhum ´susto`.rs

Marcelo→ Bom, se você tá falando da questão do sexo levado a extremos, era a realidade de alguns imperadores específicos, né?

Gilberto→ Em termos de filme pornô, sim. Talvez seja a maior produção do gênero já feita.

Hugo→ É. Mas nem todos os atores do elenco convencional desconheciam completamente isso. Veja que o Peter O´Toole e o Malcolm McDowell aparecem caminhando no meio de algumas cenas de sexo. Esses, pelo menos, sabiam.
Abraço também!

Maxwell Soares disse...

Muito boa dica, irmão. Compre este filme faz alguns poucos dias. É já um clássico. Excelente texto. Fiquei mais eletrizado, agora, após lê-lo. Parabéns...

Bússola do Terror disse...

Obrigado!rs

Jefferson C. Vendrame disse...

Tenho uma definição para esse filme Léo:
"UM LIXO COLOSSAL"
Comprei, assisti e joguei fora. Literalmente.

Abração

Bússola do Terror disse...

Bom, como eu disse, é um filme que só vai agradar a quem gosta caricaturas, piadas de cunho mais cruel... e pornografia, né?
Abração também!