sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

GALTAR E A LANÇA DE OURO



título original: Galtar and The Golden Lance
título brasileiro: Galtar e A Lança de Ouro
ano de lançamento: 1985
país: Estados Unidos
produção: Hanna-Barbera Productions

Não é difícil perceber que heróis que empunhavam espadas mágicas eram presença constante nos seriados animados do início dos anos 80, talvez por influência dos jedis da série cinematográfica Guerra Nas Estrelas, lançada em 1977... Mas vamos ver os exemplos mais conhecidos:
A Ruby-Spears Productions lançou Thundarr, o Bárbaro (1980), enquanto a Filmation Associates lançou Blackstar (1981) e He-Man e os Defensores do Universo (1983).
E já no meio da década, a mesma Filmation lançou She-Ra, enquanto a Pacific Animation e a Rankin Bass se juntaram em parceria e lançaram Thundercats (ambos em 1985).
Vendo que a ideia era lucrativa, a Hanna-Barbera também lançou o seu herói de espada mágica: o personagem-título do seriado Galtar e A Lança de Ouro.
Talvez por ter tido poucos capítulos produzidos, ele só foi exibido aqui no Brasil por um breve período (pelo menos na TV aberta), no final dos anos 80, no extinto Xou da Xuxa.
O roteiro não chega a nos apresentar nenhuma história inovadora:

No Planeta Aranon, um pequeno grupo de guerreiros, liderados pelo espadachim Galtar, lutam contra um império do mal, liderado pelo tirano Tormack, encontrando pelo caminho uma grande variedade de guerreiros, magos e monstros. E como arma principal, o Galtar usa a Lança de Ouro, uma barra mágica capaz de disparar raios de energia e de se dividir em 2 espadas de lâminas reluzentes.

Apesar do seriado ter um clima mais sério, também tem 2 personagens que trazem pinceladas de humor à história: os mercenários Rak e Tuk, que às vezes ajudam o Galtar, outras ajudam o Tormack, dependendo de quem pagar melhor.rs
Bom, eu gostava desse seriado. Tinha histórias legais. Mas como teve uma duração breve, como eu já disse, acabou deixando algumas situações sem explicação (que provavelmente seriam esclarecidas na temporada seguinte).
De qualquer forma, Galtar vale a pena ser visto por quem gosta de seriados desse tipo.
Clique aqui pra ver mais informações sobre o seriado:


E clique aí do lado em ‘seriados’ que você acha um post sobre He-Man e She-Ra.
Também vai ter um post sobre Thundercats em breve. Aguardem!

Até a próxima!

6 comentários:

Gilberto Carlos disse...

Eu adorava He-man, She-ra e Thundercats, mas Galtar eu não conheço, mas devia conhecer, já que assistia o Xou da Xuxa onde ele foi exibido. Abraços.

Marcelo C,M disse...

Muitos quiseram chupar um pouco do sucesso de Guerra nas Estrelas na época, sendo que até mesmo 007 foi ao espaço em O Foguete da Morte. Quer outro exemplo: Jaspion com seu sabre de luz enfrentando seu inimigo Satã Goss que era uma copia descarada de Darth Vader.

Bruno disse...

Não vi esse seriado ainda,talvez pelo fato de eu ter nascido dois anos depois de seu lançamento,e mesmo acompanhando parte do Xou da Xuxa não consigo me lembrar.
Mas uma coisa é certa,eu sempre curti produções semelhantes a essa,adorava Thundercats e He-man.
Valeu pela dica...adorei o post.

Bússola do Terror disse...

Gilberto→ Esse desenho só foi exibido no Xou da Xuxa por um breve período em 1987. Acho que não durou nem 6 meses no ar. Depois, sumiu de vez. Então, realmente muita gente não viu.
Abraços também!

Marcelo→ Com certeza! Até o brilho da espada do Satan Goss era igual ao da espada do Darth Vader.

Bruno→ Ah, eu também!
Só o que eu não gosto em He-Man e She-Ra é do excesso de maniqueísmo dos personagens: os heróis são verdadeiros santos de altruísmo 24 horas por dia e os vilões são maus sem explicação nenhuma 24 horas por dia. Tirando isso, acho legal.
Que bom que você gostou!

Everton Estevão disse...

Cara, muito obrigado pelo post, eu sou de 84 e quando esse desenho passou era muito muleque, então eu tinha uma vaga lembrança e não conseguia lembrar o nome nem a pau, pesquisei de várias maneiras no google, com diversas combinações de palavras chaves, eu ficava tentando lembrar quem era o herói que empunhava duas espadas que se uniam e brilhavam, isso figurava na minha memória de infância como algo mágico, e realmente foi mágico pra época, ao rever a imagem fui remetido a minha primeira infância, vlw mesmo brother! Abraços!

Bússola do Terror disse...

Que bom que você gostou!
Volte sempre!
Abraços também!