segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

A TRIBO & A TRIBO II


títulos originais: The Forgotten Ones / The Tribe
título brasileiro: A Tribo
ano de lançamento: 2009
país: Estados Unidos
elenco principal: Jewel Staite, Justin Baldoni, Kellan Lutz
direção e roteiro: Jorg Ihle












título original: The Lost Tribe
título brasileiro: A Tribo II
ano de lançamento: 2009
países: Estados Unidos / Panamá
elenco principal: Emily Baldoni, Nick Mennell, Terry Notary
direção: Roel Reiné
roteiro: Jorg Ihle (autor do texto original) e Mark E. Davidson

O que fazer quando um filme já foi terminado, já tá praticamente sendo lançado e os responsáveis por ele chegam à conclusão de que ele nem ficou bom nem produziu exatamente os resultados esperados?

Bom, na maioria das vezes, acredito que o máximo que dá pra fazer é lançar assim mesmo e, mais tarde, admitir que não foi um bom trabalho, né?
Mas, quando existe grana pra isso, também é possível fazer um remake do filme e lançar ele logo depois (ou poucos anos depois), agora corrigindo o que não ficou bom no original.
Se não me engano, foi isso que aconteceu com Uma Noite Alucinante (1981), que teve um remake lançado na mesma década com o título de Uma Noite Alucinante 2 (1987).
Bom, também foi isso que aconteceu com A Tribo, lançado em Março de 2009 e relançado como remake, chamado A Tribo II, em Maio de 2009.
O problema principal do 1º filme, pelo que eu pude perceber, foi o excesso de contradições na história... Vamos dar uma olhada no roteiro pra vocês entenderem melhor:

Um pequeno grupo de amigos tão indo de barco até a mansão de um amigo rico que tá fazendo uma espécie de surubão à beira-mar, numa mansão dele.
Mas o barco sofre um acidente e os personagens em questão são atirados ao Mar, sendo obrigados a ir se refugir numa ilha do Arquipélago das Antillas Mayores.
Só que a ilha é habitada por uma manada de ferozes criaturas parecidas com sasquatches, que começam a atacar (e consequentemente matar) 1 por 1 dos humanos que encontram. Até que só sobra uma garota, que vai ter que dar um jeito de se defender dos monstros e fugir da ilha.

Agora vejamos algumas das contradições facilmente observadas: no meio da viagem, o personagem Peter revela à namorada dele, chamada Liz, que o objetivo dele com a viagem era pedir ela em casamento quando chegassem à casa do tal amigos deles (levando em conta que a Liz é a garota romântica do grupo, é meio estranho que alguém tenha escolhido uma festa orgiástica como cenário pra pedir ela em casamento, né?); o Peter aparece numa cena com a perna toda arrebentada pelos sasquatches, de forma que ele nem sequer consegue ficar em pé, mas cerca de 10 minutos depois ele tá simplesmente correndo numa boa; quando o filme tá se aproximando do final, descobrimos que os sasquatches são totalmente cegos e se orientam só pelo olfato e pela audição, mas várias cenas ao longo do filme fazem parecer que ele tão enxergando perfeitamente o que se passa na frente deles. E por aí vai.
O filme também teve problemas com o título original: The Forgotten Ones.
Acontece que, em Agosto do mesmo ano, foi lançado outro filme chamado The Forgotten Ones, dirigido pelo Peter Anthony Fields e protagonizado pelo Michael Regnier. E aí, pra evitar confusão com esse, mudaram o título pra The Tribe.
Bom, como eu já disse, ainda em Maio de 2009, a Avatar, que foi a produtora do filme, lançou um remake.
A história foi basicamente a mesma, já que foi feita apenas uma adaptação do roteiro do filme original pro remake.
O que mudou mais é que os sasquatches foram substituídos por uma tribo de homens das cavernas que, por motivos misteriosos, não evoluíram e mantiveram a estrutura física de trogloditas. E também entrou em cena uma organização católica fundamentalista que queria matar todos os humanos que tivessem ficado sabendo da existência da tribo, pois queriam impor o Criacionismo e não permitir que uma prova definitiva do Darwinismo viesse à tona...
Meio estranho usarem um grupo católico pra representar isso, né? Católicos, em sua maioria, acreditam no Darwinismo. Quem acredita no Criacionismo e tenta impor ele a unhas e dentes e a ferro e fogo são os protestantes (principalmente os pentecostais e neopentecostais).
Além disso, a única diferença que esse remake tem do filme original é que o diretor é outro e os atores são outros. O resto é a mesma coisa.
Então, o remake também não chegou a virar nenhum clássico, né?
Eu diria que ambos os filmes distraem os fãs de filmes de terror, desde que não se espere muito deles. Eles têm a aventura que têm que ter e o suspense que têm que ter, além das maquiagens dos monstros darem conta do recado. E em alguns pontos, lembram bastante A Montanha dos Canibais (1978) e O Predador (1987). Então, vão agradar a quem gosta desse tipo de filme.
Clique aqui pra ver mais informações sobre os 2 filmes:


E clique aí do lado em ‘aventura’ que você acha posts sobre A Montanha dos Canibais e O Predador.
Até mais!

6 comentários:

Marcelo keiser disse...

Fazer uma refilmagem inteira do filme no mesmo ano é botar fé demais num produto não acha? Particularmente gosto dos dois filmes de "Uma Noite Alucinante", mas esse "A tribo" eu não conheço. É ver para crer...

abraço Leo

Bússola do Terror disse...

Eu também gostei dos 2 filmes de Uma Noite Alucinante. Mas prefiro o 2º.
Sobre A Tribo, o filme tá todo no YouTube dublado em Português.
Se quiser dar uma olhada, esse é o endereço:

http://www.youtube.com/watch?v=D424IsssYUc

Abraço também!

Tô Ligado disse...

Olá,
Vc visitou meu blog e ao retribuir a visita achei o seu muito interessante.

Vamos firmar parceria trocando links?

Abraço

Bússola do Terror disse...

Parceria aceita!
Já linkei o seu blog aqui.
Abraço também!

Fernando Terroso disse...

Remake dois meses depois ???? Caraca !

Bússola do Terror disse...

Bom, realmente TÃO rápido assim eu nunca tinha visto mesmo, não.