domingo, 27 de maio de 2012

ROSSO SANGUE

título original: Rosso Sangue
título brasileiro: inexistente (inédito no Brasil)
ano de lançamento: 1981
país: Itália
elenco principal: Edmund Purdom, George Eastman, Katya Berger
direção: Joe D’Amato
roteiro: George Eastman

O maior equívoco que se costuma cometer quando se fala de Rosso Sangue é dizer que esse filme é uma continuação de Antropophagus, lançado 1 ano antes.
Mas o equívoco é bastante compreensível por 2 motivos.
1º, esse filme foi exibido em alguns cinemas, na época em que foi lançado mesmo, com o título marketeiro de Antropophagus 2, querendo pegar carona na fama que Antropophagus tinha então. Assim, quem ouviu falar do filme, mas não chegou a ver, obviamente pensou que se tratava de uma continuação do outro.
E 2º, os vilões dos 2 filmes foram interpretados pelo mesmo ator, o George Eastman (que foi também o roteirista dos 2 filmes). Então, quem já tinha chegado a ver Antropophagus e depois só viu o trailer de Rosso Sangue ou então só viu algumas fotos do filme, ao ver o George Eastman lá como o vilão, também acabou pensando que era uma continuação do outro.
Além disso, o diretor dos 2 filmes também era o mesmo: o Joe D’Amato.
Mas as coincidências param por aí: os 2 filmes têm histórias diferentes que se passam em países diferentes, além dos personagens nem serem os mesmos.
Rosso Sangue é uma mistura de slasher com filme de mutante. E não satisfaz muito como uma coisa nem como outra.
As cenas de morte até que seriam assustadoras, se tivessem sido feitas com efeitos especiais melhores. Mas os efeitos aqui foram muito ‘feitos no quintal’. E nesse caso as cenas não ficam boas se forem mostradas com muitos detalhes, né?
Quanto ao lado mutante da história, tudo bem que aí tudo pode acontecer. Mas o roteiro não ajuda muito: o vilão era um assassino grego que foi preso por um padre que também era cientista (?!) e, depois de ter sido irradiado por energia nuclear, virou um mutante semi-imortal com um cérebro gigante.
E Rosso Sangue foi todo gravado na Itália, mas a história se passa nos Estados Unidos. Então, depois de fugir do laboratório do ‘padre-cientista’, que fica na Grécia, o mutante foi parar nos Estados Unidos?!
Bom, várias outras contradições além dessa são mostradas do início ao fim do filme. Então, não espere encontrar aqui uma história com muita coerência.
E como ponto positivo, temos que admitir que Rosso Sangue tem bons momentos de suspense.
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre o filme:


E clique aí do lado em ‘slashers’ que você acha um post sobre Antropophagus.
Até a próxima!

5 comentários:

Gilberto Carlos disse...

Léo, conheço Joe D'amato da época em que ele dirigia filmes pornôs, como os de Rocco Sifreddi e nem sabia que ele tinha dirigido também filmes de terror. Uma descoberta. Acho uma pena esses filmes que não são lançados comercialmente no Brasil. Todos os filmes devem ser conhecidos pelo publico, por mais toscos que sejam. Abraços.

Celo Silva disse...

Não conhecia, mas sou um curioso por essas produções. Adoro os giallos italianos. Principalmente os de Mario Bava, Lucio Fulci e Dario Argento.
Add teu blog lá no blogroll do espectador voraz. Apareça sempre q puder. Acompanharei suas postagens com mais afinco.
Abração.

Leo Carioca disse...

Gilberto Carlos→ Ele chegou a fazer inclusive um filme pornô misturado com terror. Se chama Porno Holocaust. E por sinal, o George Eastman também trabalha!
Também acho uma pena que muitos filmes não sejam exibidos aqui. Aliás, acho que só tomei conhecimento de pelo menos 1 terço dos filmes de terror que conheço hoje através da Internet, porque antes eu nunca tinha visto! E olha que eu sempre peguei um monte na locadora!
Abraços também!

Celo Silva→ Obrigado! Também estou linkando o seu blog aqui.
Abração também!

Alan Raspante disse...

Vendo teu blog eu percebi que preciso ver mais filmes de terror, rs

Leo Carioca disse...

Bom, quem não tá muito acostumado a ver filmes de terror talvez descubra muita coisa ao ver um site que fala sobre eles, né?rsrs