segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

NOSFERATU & A SOMBRA DO VAMPIRO




                                                      
título original: Nosferatu, eine Symphonie des Grauens
título brasileiro: Nosferatu
ano de lançamento: 1922
países: Alemanha / Tchecoslováquia
elenco principal: Greta Schroeder, Gustav V. Wangenheim, Max Schreck
direção: F. W. Murnau
roteiro: Bram Stoker (autor do texto original) e Henrik Galeen










título original: Shadow of the Vampire
título brasileiro: A Sombra do Vampiro
ano de lançamento: 2000
países: Estados Unidos / Inglaterra / Luxemburgo
elenco principal: Catherine McCormack, John Malkovich, Willem Dafoe
direção: E. Elias Merhige
roteiro: Steven Katz

Em 1897, o irlandês Bram Stoker lançou o romance de terror Drácula, livro que nem chamou muita atenção na época...
Em 1912, o escritor morreu, deixando os direitos autorais de sua obra pra viúva Florence Balcombe.
Poucos anos depois da morte dele, os alemães F. W. Murnau e Henrik Galeen decidiram criar a 1ª versão cinematográfica de Drácula. Só que a Florence não liberou o texto pra isso. Então, o F. W. e o Henrik decidiram seguir em frente assim mesmo, removendo personagens do texto original, mudando os nomes dos personagens que ficaram e alterando o final do filme.
Assim foi gravado em 1921 o filme Nosferatu, sendo lançado no ano seguinte.
Apesar de todas as mudanças que foram feitas no texto original, a Florence não aceitou a produção desse filme e abriu um processo contra ele, conseguindo que quase todas as cópias fossem recolhidas e destruídas... Pois é: QUASE todas. Porque a essa altura várias cópias já tinham sido vendidas pra colecionadores e algumas já tavam até em outros países. E foi graças a essas cópias que Nosferatu chegou até os dias de hoje.
Bom, apesar de ser um filme mudo e em preto e branco, ele impressiona até hoje e nunca deixou de ser considerado um clássico do Cinema de Terror (principalmente levando em conta que ele foi filmado com os recursos de quase 100 anos atrás, né?).
Temos aqui um terror gótico com bons momentos de suspense e até alguns de aventura.
Nosferatu rendeu um remake, lançado em 1979, chamado Nosferatu, o Vampiro da Noite.
No ano 2000, outra obra foi inspirada no filme de 1922: A Sombra do Vampiro.
Esse filme retrata vagamente o que teria acontecido durante as filmagens de Nosferatu. Mas se engana quem pensa que é um filme épico que reproduz situações reais: os personagens históricos vistos na Sombra do Vampiro são retratados de forma extremamente fantasiosa, tomando atitudes que nunca tomaram na vida real e até morrendo de formas diferentes e em épocas diferentes de como morreram na realidade.
Por isso, esse filme costuma ser entendido como uma sátira de terror ou mesmo como uma comédia de humor cáustico.
Bom, clique aqui pra ver mais informações sobre Nosferatu e sobre A Sombra do Vampiro:


Até a próxima!

5 comentários:

Marcelo C,M disse...

A refilmagem de 79 chega a ser tão boa quanto o original.

Hugo disse...

Considero o Nosferatu original um pouco superior a refilmagem de Herzog. Mas vale destacar que tanto Max Schreck como Klaus Kinski tem ótimas atuações.

Já "A Sombra do Vampiro" pega um fato real, mistura com uma lenda e cria um interessante longa com uma bela atuação de Willem Dafoe.

Abraço

Bússola do Terror disse...

Marcelo→ Eu só vi o remake de 1979 1 vez e já foi há uns 15 anos.rs Então, realmente não lembro com tantos detalhes de todas as partes. Mas, até onde me lembro, também achei o filme bom.

Hugo→ Bom, eu, particularmente, não gostei muito da Sombra do Vampiro. A cena final, principalmente, achei muito boba.
Mas vale a pena ser assistido tendo antes a noção de que, como eu disse, se trata de uma sátira ou de uma comédia cáustica.
Abraço também.

Gilberto Carlos disse...

Assisti A sombra do vampiro e achei bastante interessante. Queria ver também Nosferatu, para ver como o vampiro era originalmente. Além de ser um filme Murnau.

Bússola do Terror disse...

Nosferatu tá todo no YouTube, amigo.
Aliás, tem uns 4 ou 5 vídeos lá com o filme inteiro. Dá uma passada lá que você acha fácil, fácil...