segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

OBSESSÃO



título original: Obsessão
ano de lançamento: 2004
país: Brasil
elenco principal: Alexandre Frota, Chloe Jones, Cyane Lima
direção: José Gaspar
roteiro: Alexandre Frota e José Gaspar

Em 1979, foi derrubada a lei que proibia a exibição de filmes com cenas reais de sexo no Brasil. E como consequência, os primeiros filmes pornô (oficiais) brasileiros foram aparecendo, embora um tanto tímidos, ao longo dos anos 80. Ao mesmo tempo em que alguns atores famosos (ou ‘semifamosos’) da época, em dias de vacas magras, foram aceitando fazer trabalhos em algumas dessas produções... O David Cardoso e o Germano Vezzani, por exemplo, tão entre eles. Mas, quase sempre, esses atores faziam isso escondidos por pseudônimos. E passado algum tempo, negavam em entrevistas que tivessem trabalhado em filmes pornô.
O 1º ator brasileiro famoso a chegar em público e anunciar explicitamente que ia fazer um filme pornô foi o Alexandre Frota, há cerca de 10 anos. E assim, ele protagonizou o filme Obsessão.
O filme mostra ele se dirigindo ao público e contando histórias sexuais que ele viveu. E conforme ele vai contando, a imagem sai dele e vai pra cena de sexo que ele tá descrevendo.
Ao longo do filme, o Alexandre conta lá umas piadinhas bobas ou faz umas gracinhas umas 2 ou 3 vezes pra dar à coisa um clima de comédia. Mas, sinceramente, não funciona.
Aliás, como filme pornô mesmo, Obsessão não funciona. As cenas são mostradas de um ângulo ruim, a iluminação é ruim...
Sendo honesto: só assista esse filme se você tiver mesmo muita curiosidade em ver, porque, de outro modo, não vale a pena. O próprio Alexandre faria filmes pornô melhores do que esse depois.
Bom, clique aqui pra ver mais informações:


Até a próxima!

4 comentários:

Gilberto Carlos disse...

Obsessão é mesmo um filme decepcionante. Aliás não gosto das produções da Brasileirinhas. As cenas de sexo são intermináveis. Eles juntam umas quatro cenas dessas e o filme tá pronto.

Marcelo C,M disse...

Na época quando assisti achei bizarro ver uma pessoa famosa atuando num filme porno, mas em termos de produção, era bem ruim mesmo. Particularmente acho atualmente os filmes pornos meio chatos, pois ao meu ver só o "tira e bota não rende", pois tem que haver mais sedução e gosto por parte dos que participam. Nos anos 90, tínhamos bons exemplo do selo As Panteras e vindo lá de fora, tinha Seymore e Shane que era nota 10.

Nani disse...

Kkkkkkkkkkkkkkk legal, compreendo que não tenha gostado da parte técnica como iluminação e ângulo, mas sempre achei que os filmes pornôs todos tivessem uma história bem boba. Uma pena,acho que de outra forma seriam mais interessantes.

Bússola do Terror disse...

Gilberto→ Olha, tem alguns desses filmes que até tentam, mais ou menos, contar uma história. Mas uma grande parte, como você disse, é só um aglomerado de cenas de sexo desconexas.

Marcelo→ Uma das coisas que eu acho mais chatas quando a gente vê um filme pornô é exatamente esse ´´tira e bota`` que você diz.rsrs A câmera fica na mesma posição, mostrando só a mesma coisa, por uns 5 minutos. Só aquele chaca-chaca, chaca-chaca, chaca-chaca fica chato, né?rs
Aliás, você lembrou bem: os filmes da Panteras geralmente contavam histórias com mais contexto do que os da Brasileirinhas.

Nani→ Bom, como eu disse, o filme fica mais interessante quando tem mais contexto, e não só um monte de cena de sexo uma atrás da outra. Mas, por outro lado, quem vai ver um filme pornô tá querendo ver cenas de sexo, né? Então, também não pode ter muuuuuita história, muuuuuito blá-blá-blá e só poucas cenas de sexo.
Tem 2 filmes pornô brasileiros que cometeram exatamente esse erro: Oh! Rebuceteio! (1984) e Experiências Sexuais de Um Cavalo (1986).